Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2018

O conceito de "aura" em Walter Benjamim

Nos escritos de  “Pequena História da Fotografia” e “A obra de Arte na era de sua reprodutibilidade técnica” Walter Benjamim define que a dimensão “aurática” de um objeto seria reconhecida pela singularidade de sua aparição, isto é, pelo seu caráter único, perpassado por determinações relativas ao espaço e a temporalidade em que está inserido. Independente da proximidade física com o objeto ou obra de arte, teria-se uma espécie de distância ontológica conceitual determinada por uma propriedade de culto e magia na qual estaria envolto. 
Para Benjamim o fenômeno da aura estaria primordialmente ligado ao caráter de unicidade e autenticidade da obra. Fazendo o que poderíamos chamar de uma “genealogia da aura”, Benjamim constata que existe um momento primeiro que estabelece o surgimento da aura no contexto cultural da humanidade: ela seria contemporânea da utilização da obra de arte nos rituais religiosos. 

Temos nessa dimensão que o objeto ou obra utilizada ritualisticamente – primeiram…